Pesquisar
Close this search box.

Jardim Botânico de Curitiba (PR): Guia Completo

jardim botânico de Curitiba

Se você gosta de ótimas experiências de viagem no Paraná, saiba que você veio ao post certo! Afinal, o Jardim Botânico de Curitiba é dos principais cartões postais da capital paranaense.

Sendo assim, para que você conheça esta atração com mais detalhes e tranquilidade, criamos este post exclusivo sobre o Jardim Botânico de Curitiba.

Ficou curioso? Se sim, vem com a gente para mais detalhes!

 

História do Jardim Botânico de Curitiba?

Fundado em 1991, o Jardim Botânico de Curitiba é o principal cartão postal da cidade e sua arquitetura tem inspirações francesas.

O local foi construído com a finalidade de enaltecer a preservação de espécies de plantas típicas da Mata Atlântica e do Paraná.

Mas, acabou atraindo inúmeros turistas ano após ano e se transformou em um dos principais pontos turísticos de Curitiba.

Os estilos semelhantes são bem notórios nas três abóbodas, nos canteiros geométricos e nos chafarizes que ajudam a complementar um cenário perfeito para fotos.

Então, anote no seu roteiro de viagens, o Jardim Botânico de Curitiba, que é uma das atrações mais procuradas mundo afora.

Você certamente vai se encantar com tanta beleza!

DICA EXTRA: Melhores parques de Curitiba no Paraná

 

Onde fica e como chegar ao Jardim Botânico de Curitiba?

Diferentemente do que muitos imaginam o Jardim Botânico de Curitiba é uma atração superacessível, já que, encontra-se próximo à Estação Ferroviária.

Sendo assim, como boas opções de locomoção, você pode utilizar um ônibus de turismo, – fica a dica de City Tour pelo Paraná – que percorre as principais atrações da região.

O valor da passagem custa R$50 e é valido por 24 horas.

Além disso, saiba que você também pode chegar ao Jardim Botânico de Curitiba de carro, mas, os estacionamentos próximos são pequenos e por isso, recomendamos que você sai cedo para garantir a visitação.

Por fim, se você pretende reservar um carro alugado, com cancelamento grátis e parcelamento, basta acessar aqui.

 

Quanto custa e qual o horário de funcionamento do Jardim Botânico de Curitiba?

Para que você possa se programar melhor, é importante saber qual o horário de funcionamento e valores de entrada do parque, não é mesmo?

Sendo assim, saiba que o Jardim Botânico de Curitiba funciona de segunda a domingo das 6h às 20h e possui entrada gratuita para todos os públicos.

parque jardim botânico em curitiba
Fonte: Pixabay

Então, para conhecer todo o complexo com tranquilidade, anote essas informações!

Também não podemos deixar de mencionar a seguir, algumas ressalvas quanto às visitações e regras do estabelecimento.

Afinal de contas, há regras que precisam ser cumpridas e que precisam ser seguidas à risca para mantermos as boas condições do ambiente.

Por aqui, não são permitidas quaisquer atividades que precisem utilizar bola e nem a entrada de animais.

Você também não pode andar com skates, patins, bicicleta ou moto nos gramados, afinal de contas, precisamos manter o local em perfeito estado, para que este continue sendo uma das melhores atrações do Paraná.

 

Quando conhecer o Jardim Botânico de Curitiba?

Diferentemente de outros destinos do Brasil, para conhecer o Jardim Botânico de Curitiba é recomendado fugir do verão e das temperaturas altas.

Sendo assim, a melhor época para visitar o complexo é entre abril e maio, quando as temperaturas estão mais amenas.

O que torna até mais agradável fazer passeios ao ar livre.

DICA EXTRA: Melhores museus de Curitiba no Paraná

 

O que fazer no Jardim Botânico de Curitiba?

O Jardim Botânico de Curitiba é um Complexo natural supercompleto, na qual oferece ótimas para toda a família.

jardim botânico de Curitiba

Afinal de contas, bons atrativos não faltam por aqui, então, programe-se para fazer uma viagem superdivertida ao Paraná, você com certeza não vai se arrepender!

 

1- Museu Botânico

O Museu Botânico possui, atualmente, o 4° maior herbário de país, com cerca de 400 mil espécies de plantas, madeira e frutas, nativas do Paraná e da Mata Atlântica.

Por aqui, também funciona um centro de pesquisa botânica, que visa pesquisar e divulgar o desenvolvimento da flora brasileira.

Além disso, palestras e cursos são realizados com frequência por aqui, para estudantes e pesquisadores.

Portanto, vale muito a pena visitar e conhecer mais sobre as coleções de plantas e pesquisas realizadas pelo Jardim Botânico de Curitiba.

 

2- Estufa do Jardim Botânico de Curitiba

A Estufa é uma das partes mais interessantes do Parque, já que, sofre altas referências francesas bem históricas.

O que chama atenção de turistas mundo a fora é a estrutura da estufa, que é abobadada e feita de ferro e vidro, inspiradas no Palácio de Cristal de Londres do século XIX.

Aqui dentro, tudo é bem aquecido e climatizado, já que abriga espécies de plantas da Mata Atlântica, como Caraguatá, Caetê e Palmito.

Por fim, saiba que a estufa nos proporciona uma ótima vista do jardim, que e uma das atrações que você não pode perder no Jardim Botânico de Curitiba.

DICA EXTRA: Dicas de restaurantes em Curitiba e região

 

3- Galeria Quatro Estações

A Galeria Quatros Estações, é um espaço projetado para conscientizar e apresentar aos turistas, informações relevantes sobre a flora local e do país.

Além disso, o ambiente visa proporcionar as melhores experiências para todos e por isso, é uma atração que você não pode deixar de conhecer!

Outro detalhe relevante é que sua estética também é projetada para aclimatação das plantas, com um visual lindíssimo e que impressiona a todos que o conhecem.

Em outras partes, temos um espaço mais aconchegante com vasos, bancos e canteiros de flores, para você relaxar e/ou se divertir neste lugar que transmite muita paz.

Vale a pena conhecer!

 

4- Jardim Francês

Por falar em vistas bonitas, você não pode deixar de conhecer o Jardim Francês, que é o mais receptivo do Parque e apresenta um dos cenários mais bonitos do Jardim Botânico e Curitiba.

Afinal de contas, seu formato geométrico, suas flores bem coloridas e a fonte de água, compõem o visual perfeito para as fotos e nos transporta ao passado, diretamente para a França.

Você não pode deixar de conhecer!

Além disso, por aqui, você tem algumas opções de lazer, tais como caminhadas, apreciar a linda paisagem, conhecer a escultura do amor materno etc.

DICA EXTRA: 10 Melhores comidas típicas do Paraná

 

5- Jardim das Sensações

Uma outra atração muito procurada pelos turistas no Jardim Botânico de Curitiba é o Jardim das Sensações, que como o próprio nome sugere, explora os sentidos e entrega uma perspectiva diferente.

Sendo assim, com os olhos vendados e pés descalços, os visitantes fazem uma trilha de 200 metros utilizando apenas o tato, olfato e audição para explorar as mais de 70 plantas disponíveis.

Esse tour, permite que os turistas sintam a natureza de forma mais intensa, sendo recomendado para quem gosta de fazer passeios diferentes.

Porém, é importante frisar que o Jardim das Sensações, possui o horário de funcionamento um pouco diferente do Parque, sendo este de terça a sexta-feira das 9h às 17h.

 

6- Projeto Abrão Assad

Por fim, mas não menos importante, temos ainda dentro do Jardim Botânico de Curitiba, o Projeto Abrão Assad.

O local, que faz referência ao arquiteto e idealizador de todo o Parque, além de enaltecer sua importância para o estado.

Afinal de contas, ela já projetou bibliotecas, auditórios, centros de pesquisa e outros estabelecimentos importantes para a cultura.

Sendo assim, a partir do Projeto Abrão Assad, podemos conhecer as suas principais construções, um pouco da sua trajetória e claro, tudo o que desrespeito ao Jardim Botânico de Curitiba.

Vale muito a pena fazer uma visita!

 

Onde se hospedar em Curitiba?

Escolher onde se hospedar em Curitiba pode fazer a diferença para quem deseja conhecer com facilidade o Jardim Botânico de Curitiba.

Sendo assim, para que você saiba por onde começar, separamos por aqui, as melhores regiões e também, pontuamos algumas hospedagens que você vai gostar!

No Centro Histórico, pode ser uma boa pedida para quem deseja ter mais acessibilidade, já que fica próximo aos principais pontos turísticos da cidade.

O bairro Mercês é perfeito para quem gosta de mais economia e, portanto, aqui temos boas indicações de Hostels.

Nossa dica está para o Motter Home Curitiba Hostel e Garibaldi Hostel e Café, que valem super a pena!

Agora, para quem busca por hospedagens mais sofisticadas, pode procurar na região do Bairro Batel ou Centro Cívico que com certeza encontra ótimas opções.

Dentre elas, destacamos como opções mais acessíveis: Ibis Style Curitiba Centro Cívico e Hotel Moov Curitiba.

Agora, para quem gosta de luxo e muito conforto, indicamosTransamérica Prime Batel Curitiba e o Intercity Curitiba Centro Cívico.

Essas são ótimas opções e com certeza vão te surpreender!

Além disso, não deixe de conferir nosso post de onde se hospedar em Curitiba, para ter acesso as melhores indicações!

 

Vale a pena conhecer o Jardim Botânico de Curitiba?

Com certeza vale a pena visitar o Jardim Botânico de Curitiba que é muito visado pela imersão natural e cultural que proporciona aos seus visitantes.

Além disso, o local é perfeito para fazer lindos registros, se divertir com a família e ter experiências mais do que positivas no Paraná.

Então, para conhecer mais sobre os principais atrativos do Paraná, não perca as atualizações do Blog Mundo Viajante aqui e no insta @blogmundoviajante.

2 respostas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre mim
o que fazer em holambra - conhecer os campos de girassóis

Izabela

Sou apaixonada por musica, hambúrgueres artesanais e principalmente viagens. Estou sempre tentando aprender com os lugares e pessoas que conheço na estrada da vida.

Siga nas redes sociais
- Publicidade -

Junte-se à nossa comunidade de viajantes e receba dicas exclusivas, descontos e novidades!

- Publicidade -

Você sabe se tem DIREITO a
CIDADANIA EUROPEIA?

Este site utiliza cookies para garantir uma melhor experiência ao usuário. Consulte a nossa Política de Privacidade.