Worldpackers: Trocar Trabalho por Estadia | MUNDO VIAJANTE - Mundo Viajante

Worldpackers: Trocar Trabalho por Estadia | MUNDO VIAJANTE

Publicado em 17/11/2020

Quer saber como trocar trabalho por estadia? Como funciona o Worldpackers? Qual o passo a passo para participar? Então, leia nosso post completo com todas as informações que você precisa:

foto de mulher loira na floresta tirando uma foto com uma camera fotografica antiga preta

O que é Worldpackers


O objetivo do Worldpackers é a troca de trabalho por estadia, ou seja, a plataforma do Worldpackers faz a conexão entre os anfitriões ofertantes de hospedagem e os viajantes dispostos a trabalhar. 

Apesar de os hostels serem os maiores divulgadores de vagas para a troca de trabalho por estadia, também existem ONGs e comunidades ecológicas que fazem parte da plataforma. 


São mais de 170 países participantes e milhares de vagas ofertadas. A maioria dessas vagas – além da estadia – incluem no mínimo uma refeição. 

Tanto o que é oferecido pelos anfitriões como quais serão as atividades que os voluntários devem realizar é descrito claramente nas vagas. 


Como funciona o trabalho voluntario Worldpackers 


As vagas listadas no Worldpackers são variadas, os trabalhos vão desde serviços gerais leves até produção de conteúdo para mídias digitais. 

Existem vagas para cuidar de animais, ensinar idiomas, cuidar de jardins e hortas, trabalhos artísticos etc. 

poster azul escrito como trabalhar em troca de hospedagem no exterior

Os horários de trabalho são variados e acordados entre ambas as partes, indica-se que não sejam ultrapassadas as 25 horas de trabalho por semana. 

Fique sempre atento a legislação vigente no âmbito do trabalho voluntario, já que as regras são aplicadas de maneiras diferentes em cada país. 


Worldpackers vale a pena?


Se o viajante estiver com mente aberta para novas experiências o Worldpackers pode ser muito bacana. 

Para aqueles que buscam economizar na estadia, ter uma imersão na cultural ou desenvolver novas habilidades o Worldpacker vale a pena. 

Além disso, muitos utilizam a plataforma para realizar o sonho de um mochilão ou até mesmo para tirar um ano sabático. 


Passo a passo para se inscrever no Worldpackers


Participar de um dos programas de voluntariado em troca de estadia pelo Worldpackers é mais fácil do que parece. 

O primeiro passo é se candidatar para as vagas que se encaixam no seu perfil. Fique atento nos pré-requisitos da vaga e quais são as atividades que você iria desenvolver. 

Depois, converse com os ofertantes das vagas no Worldpackers e tire todas as suas dúvidas sobre a oportunidade. Não deixe de perguntar nada e dê preferência a vagas que foram bem avaliadas por outros voluntários. 

poster com mapa mundi no fundo escrito passo a passo worldpackers

O terceiro passo é para aqueles que pretender realizar um programa no exterior, verifique e providencie a documentação necessária. 

Por último, se for aprovado na vaga confirme o aceite na plataforma do Worldpackers. Caso não seja aceito, tente outra vaga e não desanime. 


Worldpackers é seguro?


A plataforma é desenhada para proporcionar o máximo de segurança possível para os voluntários, os feedbacks feitos pelos voluntários são usados para filtrar e monitorar os anfitriões. 

O Worldpackers Brasil cobra uma taxa anual de $49 (dólares), onde o usuário tem direito de aplicar-se em quantas vagas desejar dentro do período de validade da assinatura.

Na minha opinião a taxa é cara para aqueles que pretendem realizar viagens curtas, mas para aqueles que pretendem passar um tempo na vida nômade o custo-benefício pode compensar. 

Além disso, as taxas desse tipo de programa têm o intuito de disciplinar os seus usuários, já que os participantes só se inscrevem caso tenham real interesse na vaga. 


Worldpackers em Florianópolis 


Experiência - Bruna Cidade 


Ainda não tive a minha própria experiência com o Worldpackers, mas vim compartilhar a vivência da minha amiga Bruna Cidade que usou a plataforma em Florianópolis. 

Bruninha conheceu o Worldpackers através de amigos que viajaram usando esse aplicativo e os feedbacks positivos dessa galera fizeram com que ela se aventurasse nessa experiência

mulher em cima de uma pedra com o mar ao fundo

Tudo o que estava descrito na vaga do hostel onde ela trabalhou foi cumprido, hospedagem e duas refeições. 

Entretanto, nos últimos dias que ela esteve no hostel o seu celular foi furtado e isso fez com que a experiência dela não fosse 100% positiva. 

Claro que isso não foi culpa da plataforma e sim das pessoas que trabalharam com ela, mas isso serve de dica para que os viajantes fiquem atentos com seus pertences. 

A Bruna, conheceu muita gente legal na Ilha da Magia e gostou da experiência. Mas, trabalhou bastante – dentro das 5 horas diárias - por ir na Alta temporada. 

No fim nossa viajante deu algumas dicas: 

- Pesquisar muito o local onde se pretende ir.
- Ler todas as avaliações dos viajantes e anfitriões
- Desconfiar de lugares onde os voluntários relataram problemas.
- Conversar com pessoas que já participaram.

 -->> Por último, confere como foi a experiência com o worldpackers do Rodrigo, escritor do Blog Mundo em Lanches, ele participou de uma oportunidade na área de fotografia e marketing digital em Canela.

-->> Se gostou desse post confira nossas dicas de hospedagem para você viajar quase de graça. 

-->> Confira também os "Países Poucos Visitados pelos Brasileiros" do Blog da Eli Werneck.


panfleto escrito como não pagar a hospedagem


Se gostou desse post segue o Mundo Viajante no Facebook


Se tem dúvidas ou sugestões deixa seu comentário

Nenhum comentário:

Postar um comentário



@INSTAGRAM